O que tem o vinho

O que tem o vinho

por Eduardo Bassetti

Neste espaço, o vinho é o sujeito principal. Desde a história, até as técnicas atuais de elaboração, os temas aqui tratados passam pelo plantio das uvas, cuidados com os vinhedos, processos de fermentação e curiosidades do mundo do vinho, sempre com a colaboração de um apaixonado por fazer e beber vinhos.

eduardo@villaggiobassetti.com.br

Os vinhos brancos e as barricas de carvalho

Publicado a(s) 15:11h do dia 13/07/2018

Vinhedo Sauvignon Blanc Villaggio Bassetti. Foto: Fernando Laske.

Da mesma forma que os vinhos tintos podem ser valorizados pelo uso de barricas de carvalho, os brancos também podem se beneficiar da madeira na evolução de algumas de suas características.

Entre os vinhos brancos, os elaborados com a variedade Chardonnay são os que mais tradicionalmente se beneficiam do uso de barricas de carvalho, principalmente na Borgonha, região francesa considerada seu berço natal.

Já a Sauvignon Blanc, que tem sua origem na região de Bordeaux (ou Bordéus), no Sudoeste da França, tornou-se a variedade branca mais cultivada no Vale do Rio Loire, onde há pouco tempo teve seu encontro com as barricas de carvalho. Na França os mais conceituados Sauvignon Blanc encontram-se no Sancerre e Pouilly-Fumé, tendo sido o viticultor desta última região, Didier Dagueneau (1956-2008), quem elevou esta casta a um conceito jamais alcançado anteriormente, elaborando vinhos 100% desta variedade.

A Austrália e a Nova Zelândia tiveram importante papel na divulgação da Sauvignon Blanc com seus vinhos refrescantes e com preços muito baixos. As altas produtividades de seus vinhedos, muitas vezes superando as 20 toneladas por hectare, proporcionaram a entrada de seus vinhos em todo o mundo, viralizando um estilo leve, frutado e com acidez marcante. Sua característica mais evidente é o intenso aroma de maracujá. Em contraponto a este estilo, os vinhos com Sauvignon Blanc produzidos em algumas regiões do planeta podem se beneficiar do uso de barricas de carvalho, desde que elaborados com uvas maduras e que apresentem boa estrutura e acidez.

As regiões de altitude da Serra e Planalto Catarinenses, com sua marcante amplitude térmica no período de maturação, proporcionam a elaboração de vinhos com estas qualidades. Suas características de estrutura e untuosidade permitem o benefício do uso de barricas, agregando-lhes complexidade. Os aromas típicos deste conjunto são os amanteigados e as especiarias, além de frutas de polpa branca, conferindo um resultado bastante harmonioso.

Em 10 safras de atividade, nossa vinícola tem se destacado pelos Sauvignon Blanc. Nas últimas três edições do Guia Adega de Vinhos Brasileiros (2016, 2017 e 2018) os SB da Villaggio Bassetti foram considerados os melhores do Brasil: por duas vezes o Donna Enny e o Sauvignon Blanc Villaggio Bassetti, sendo que em 2017 os dois empataram em primeiro lugar. O Donna Enny se diferencia por ser fermentado em barricas de carvalho francês. Embora originário do mesmo mosto (suco da uva antes da fermentação) o processo de elaboração e o período de cerca de sete meses que permanece sobre as lias (leveduras) dentro das barricas, aportam importantes diferenças tanto nos aromas quanto nos sabores, proporcionado mais complexidade, permitindo harmonizações mais amplas como com peixes defumados e carnes brancas.

A partir de 2015 passamos a elaborar o Selvaggio D’Manny (veja artigo publicado em 04/05/2018) que estagia em barrica por cerca de 15 meses, o que lhe confere, juntamente com a fermentação natural, aromas muito mais evoluídos do que se poderia esperar de um vinho tão jovem.

Pelas características de acidez, estrutura e álcool, estes vinhos são essencialmente gastronômicos e podemos afirmar que, nestas altitudes, a Sauvignon Blanc ainda dará muito o que falar. Além de excelentes vinhos para beber!

Saúde! E bons vinhos...

Barrica de Carvalho na Villaggio Bassetti. Foto: Fernando Laske.

Comentários

Publicidade
Publicidade

Artigos relacionados


Publicidade
Publicidade